terça-feira, 15 de outubro de 2013

CRÔNICA DO DIA: PROFESSOR - O início de tudo!

Hoje acordei com um sentimento de saudade no peito. Olhei o dia meio azul, que o cinza insiste em querer mostrar a força da sua cor e, de repente, veio aquela saudade, quando me lembrei que dia é hoje. Quinze de outubro: DIA DO PROFESSOR!

Me lembrei das minhas duas professoras do primário (hoje chamado anos iniciais do ensino fundamental), a Tia Lia e a Tia Fátima. Inesquecíveis! Época boa! Aprendi tanto com elas... De um jeito todo especial, que era só delas, o conteúdo era passado de uma forma carinhosa e alegre, porém disciplinada. Cada uma no seu estilo conseguia transmitir conhecimento de uma forma tão... prazerosa! Sou obrigada a repetir: inesquecível! 

Tia Fátima era mais brava, mais séria, porém igualmente carinhosa e nunca desistia de ninguém, mesmo quando a matemática parecia se tornar um problema sem solução. Ela sempre dava um jeito de fazer a matemática se tornar divertida e atraente. Incrível como alguém podia ter tanto talento para ensinar.

A Tia Lia era mais carinhosa, mais doce e me arrisco a dizer mais romântica, como os primeiros textos dos livros que nos ensinou a amar. O gosto, a paixão e o amor pela leitura tiveram um grande incentivo na minha infância: tia Lia! Ela contava uma história como ninguém e com ela era tão fácil entender a gramática, a ortografia... Um luxo!

Ambas eram professoras apaixonadas pela profissão que abraçaram. Essa era a característica que as tornava tão especiais e fizeram delas pessoas inesquecíveis das nossas memórias infantis. 

Eu aproveito este dia para lhes render homenagem. Gostaria de poder dizer a elas o quanto elas foram importantes para mim e para a minha formação intelectual. MUITO OBRIGADA!

Aproveito para agradecer também a todos os professores de hoje, que lutam diariamente para se manter em uma profissão importantíssima, crucial, porém tão desvalorizada por nossos governantes. 

Para mim, quem escolhe ser professor, não escolhe só uma profissão, escolhe uma missão. Sim, missão. Missão de difundir o conhecimento por onde quer que vá. Há algo mais nobre e democrático do que isso? Deve haver. Mas hoje só consigo pensar nos professores, nas minhas queridas e inesquecíveis professoras. 

E a missão a que me refiro ficou ainda mais clara no último domingo, quando assisti a uma reportagem no programa dominical Fantástico, da TV Globo. A matéria era sobre Vania, professora de história da rede pública, que está fazendo a diferença no colégio em que trabalha. Suas aulas são as mais frequentadas. Ninguém quer perder. O segredo? Paixão pela profissão. 
A professora Vania descobriu uma forma de tornar suas aulas atraentes e através da música, ela chama a atenção para questões importantes como a poluição ambiental, por exemplo, entre outros assuntos. O seu projeto pedagógico baseou-se no DVD Brasileirinho, da cantora Maria Bethânia. Na reportagem vemos como os estudantes ficam animados e conseguem apreender o conteúdo que lhes está sendo apresentado. 

Enfim, o dia de hoje é uma homenagem a todos os professores especiais que conhecemos ao longo das nossas vidas. Mas é também um momento para reflexão. Afinal, essa classe tão especial é também muito sofrida, desvalorizada e maltratada no nosso país tão belo e grandioso. Neste dia, que é só de vocês, caros e queridos professores, eu desejo que a classe política e os governantes do nosso país reflitam e modifiquem a situação ultrajante em que os colocaram. Para que vocês tenham o valor e o reconhecimento que merecem na nossa sociedade.

FELIZ DIA DO MESTRE!!!

24 comentários:

  1. Lindo texto! Como sempre, arrebentando, em seus comentários...lembro muito da minha professora de história e matemática que não desistiram de muitos amigos meus...uma luta! Obrigada mais uma vez pelo carinho e ternura com as palavras, muitos bjs ELISANGELA MORAIS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Elisangela! Não podia ter outra reação, afinal recebi tanto carinho na minha infância desses seres tão especiais, que são os professores. Um grande beijo!

      Excluir
  2. Parabéns, arrebentou, sempre com esse jeitinho especial e carinhoso de se expressar.Bjs. Sonia Guerra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sonia!!! Fico feliz que tenha gostado! A crônica foi escrita com muito carinho para aqueles (as) que se dedicam diariamente a transmitir cultura, conhecimento e luz para todos. Um beijo grande!

      Excluir
  3. Parabéns, arrebentou, sempre com o seu jeitinho carinhoso e especial de se expressar. Bjs. Sonia Guerra.

    ResponderExcluir
  4. É isso aí, Fafá. Os mestres são pessoas pra lá de especiais em nossas vidas ;oD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bota especial nisso, Julinho! Um grande abraço!

      Excluir
  5. Belas palavras minha irmã, muito bem escrito sobre os professores, pois eles são o começo de tudo em nossas vidas.Bjs minha querida e sucesso em sua empreitada.Sabe que sou uma grande fã sua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nitinha! Obrigada por seu apoio e torcida sempre! Um grande beijo!

      Excluir
  6. ...só não gostava de uma professora que puxava minha orelha e da diretora que reclamava do meu uniforme sujo ! kkkkk, to brincando! Doces são as lembranças dos mestres que nos ajudaram a formar, refletir ou questionar ideias na construção do intelecto. Fátima, você ganhou um 10! rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, WP! Acho que com esse 10 consigo passar de ano!!! (risos) Valeu! Um grande abraço!

      Excluir
  7. Eu queria mandar um beijo para a Tia Heloisa, para a Irmã Lourdes e para vc. Adorei o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Denis! Um beijo para você também!

      Excluir
  8. Eu queria mandar um beijo para a Tia Heloisa, para a Irmã Lourdes e para vc. Adorei o post!

    ResponderExcluir
  9. QUE DELICADEZA A SUA! DÁ PRA PERCEBER, EM SEUS ESCRITOS, QUE VEM DO SEU CORAÇÃO ! BEIJOS DA TEREZA VIEIRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Tereza, o texto partiu do meu coração sim e das doces memórias da minha infância tão querida, ao lado dessas duas grandes professoras. Obrigada por seu comentário! Um grande beijo!

      Excluir
  10. Eu não poderia deixar de comentar este post, ainda que seja com um atraso de 08 dias...Lendo o seu texto e os comentários sobre o mesmo, mergulhei também nas lembranças da minha infância na escola e recordei da minha primeira professora, lá no longíco primário, TIA VERA! Quantas saudades daquela professora que ao mesmo tempo que nos impunha autoridade nos passava o seu carinho e amor à todos nós pequeninos que debutávamos na sala de aula..sempre sorridente e afável nos fazia entender que a educação seria o fator que nos marcaria as nossas vidas para sempre. Muito bom recordar!
    Em suma, gostei mesmo do post e que as suas palavras sobre o que significa essa missão de educador, possa ser ouvida pelos nossos governantes para que modifiquem suas atitudes e pensamentos em relação a esta profissão merecedora de todo reconhecimento e respeito.
    À todos os mestres um fraterno e grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cosme Luiz, por seu comentário. Fico feliz que esta postagem tenha lhe trazido boas lembranças da sua infância e do contato com as primeiras letras. Um grande abraço!

      Excluir
  11. Lindo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Adorei o texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Erika!!! Os professores merecem!!! Um grande abraço!

      Excluir
  12. Maravilhoso e muito tocante sua crônica, amiga ! Vejo muito claramente o amor desde a infância pela profissão que exerci por 10 anos. Mas , como dizem algumas de minhas amigas daquela época , tive uma visão de uma realidade que já em 1980 apontava : a permanecer no ideal, com uma filha para criar e no seio de uma família com poucos recursos, precisava tomar novo rumo. Infelizmente nesse país ....tudo já foi dito acima, não vou repetir. Mas uma coisa é absolutamente certa : por aquelas crianças tudo valia a pena ! Muito obrigada ! Que Deus a abençoe ! Tereza Vieira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tereza, por seu comentário e suas doces palavras! Que bom que as crianças tiveram o privilégio de tê-la como professora. Um grande abraço!!!

      Excluir
  13. Os dias não tem sido os melhores na labuta do magistério. Desrespeito impera. Vamos sobrevivendo sem olhar para trás Um dia de cada vez.

    ResponderExcluir